Porque sua empresa não deve usar backup em fita

 em Cloud backup, Cloud Computing, Contingência
Compartilhe:

Backup em fita

A fita foi o primeiro meio removível para se fazer armazenamento de dados. E, infelizmente, ainda é um método muito utilizado por empresas que fazem cópias de segurança das informações. Dizemos “infelizmente”, pois a média de falhas é alta por tratar-se de tecnologia que ficou muito obsoleta, além de ter um péssimo custo/benefício se comparada a outras soluções de backup que existem hoje em dia.

O único benefício do backup em fita, interessante no passado – quando o custo de armazenamento de dados era alto, pois demandava aquisição de novos hardwares – é a capacidade de armazenamento relativamente alta se comparada ao seu preço. Contudo, as desvantagens pesam muito do outro lado da balança:

  • Não possui inteligência para evitar a cópia de dados idênticos mais de uma vez. Quando é possível realizar backup diferencial e/ou incremental, a restauração é extremamente complexa;
  • Pode levar horas para fazer a gravação e recuperação dos dados. Fora que não há um jeito fácil de manter múltiplas versões de um mesmo arquivo – versionamento;
  • Para recuperar um arquivo ou pasta, é preciso primeiro encontrar a fita que contém o backup do dia desejado. Descompactar o conteúdo, navegar e localizar o arquivo e restaurar para a localização. Esse procedimento pode levar, de horas a dias;
  • O manuseio físico das mídias requer tempo e intervenção manual, inviabilizando a restauração dos arquivos quando ocorrem deleções acidentais;
  • O armazenamento é extremamente delicado, não apenas por roubo, mas pelo fato de o material ser sensível e inflamável.

Para atender o mesmo propósito de cópia, armazenamento e recuperação de arquivos e dados corporativos, existe uma solução muito mais moderna, que é o backup na nuvem. Essa solução, além de resolver os problemas do backup em fita que listamos acima, apresenta três grandes pilares:

Automação

É possível obter automação com o backup em fita, porém os custos são elevadíssimos pelo fato de a operações serem realizada por robôs físicos e, ainda assim, não é 100% automatizada. Além da movimentação interna das fitas, existe também a necessidade de transporte e armazenamento físico. Que na grande maioria dos casos demanda várias interferências humanas, o que coloca em risco a integridade dos dados, custa caro e aloca a mão de obra em atividades pouco estratégicas para a empresa.

Quando o backup é feito na nuvem, a logística da informação é feita de maneira automatizada e digital. Reduzindo os riscos de esquecimento ou violação da informação – além de possibilitar fácil localização da informação e acesso de qualquer lugar. Para empresas que possuem unidades e filiais em diferentes lugares, é uma excelente solução para estabelecer padronização nas rotinas de backup e centralização da informação. A logística é também facilitada e automatizada, o que reduz riscos e tempo de equipe.

Redução de custos

O preço das fitas varia bastante de acordo com sua capacidade de armazenamento. Para realizar o backup de informações de uma empresa de pequeno à médio porte, são consumidas várias fitas por semana. Além do custo das fitas e do sistema de “automação” do backup, existe ainda o manuseio e o transporte dessas fitas, que além de implicarem no custo, aumentam os riscos. Por fim, a empresa pode optar por armazenar as fitas de backup internamente. Isso ocupa espaço na empresa e aumenta muito os riscos – dada a sensibilidade que o material da fita apresenta e ainda ser inflamável. Pode também contratar uma empresa que ofereça cofre especializado para esse fim, o que eleva os custos lá em cima.

A solução de backup na nuvem elimina o custo das fitas, de logística e armazenamento físico de todo o material. Além de reduzir drasticamente o tempo despendido por pessoas. A escalabilidade da nuvem possibilita contratar uma solução on-demand, com assinatura mensal. Com isso os recursos podem ser aumentados conforme a demanda dos negócios. Além disso, o backup pode ser gerido por uma empresa especializada que, além de fornecer a ferramenta e o espaço em data center, agrega serviços de monitoramento, gerenciamento e suporte. Sem contar com a disponibilidade das informações, que mediante a falhas, são automaticamente restabelecidas em outro servidor de maneira automática. Reduzindo o tempo de inatividade das operações, que são responsáveis por altas cifras para as empresas.

Segurança e confiabilidade

O fator mais importante a se considerar na escolha de um método de backup é a confiabilidade. Quanto custará armazenar em um local realmente seguro? Qual o custo caso a empresa triplique seu tamanho nos próximos anos? Os dados estarão imediatamente caso precisem ser restaurados? Quando o método é o backup em fita, você verá que o risco de todas as questões é muito alto!

A automação da rotina de backup reduz os riscos de falhas por eliminar inversões humanas, garante o armazenamento seguro das informações em ambiente de data center e ainda faz todo o tráfego da informação de forma criptografada – ou seja, cada etapa do processo possui uma blindagem contra ameaças internas e externas. Somente com o backup na nuvem sua empresa está realmente protegida de vulnerabilidades e desastres.

Conclusão a respeito do backup em fita

Comparar backup em fita com o em nuvem é como comparar assistir filme em VHS com o Netflix. O backup em fita não é produtivo, econômico e confiável para as empresas atuais. Se a sua empresa busca uma solução de backup na nuvem que atente os três pilares que elencamos nesse artigo, precisa do Penso Cloud Backup. Além disso, a Penso tem expertise para realizar um projeto de migração da fita para a nuvem.

Postagens Recentes
Mostrando 2 comentários
  • Pedro Tenvia
    Responder

    Eu estou pensando seriamente em incluir tambem esta forma de backup, pelo fato de que em caso de desastres, virus, exclusão indevida de arquivos sempre é possivel voltar ao passado, até o momento da besteira feita, isto não quer dizer que a fita deva ser a primeira opçao de restore, mas a ultima e muitas vezes a unica que resta.

    • Jônio Gomes
      Responder

      Concordo com o Pedro Tenvia quanto a incluir na gestão de seu backup a opção de cópia em fita (LTO6 atualmente), haja vista, em ocorrendo um desastre digital amplo, as fitas bem armazenadas, como em cofre específico para medias magnéticas dos que eu recomendo aos meus clientes, será a última linha de defesa!
      Eu não concordo com o autor quando afirma que “o backup em fita não é confiável…”. Em minha opinião essa foi uma afirmação equivocada do autor. Sugiro que em próximas oportunidades tente uma explanação menos comercial e mais comprometida com a divulgação de conteúdo relevante para o público corporativo, afinal há muito profissionais da área de segurança da TI que poderá ler os seus textos, como foi o caso deste aqui.

Deixe um Comentário

ERP Benner na nuvemMigrar CPD para nuvem